Pular para o conteúdo

Celebração e segurança andam juntas neste Carnaval

| Notícias locais

Após quase dois anos desde o início da pandemia, o Brasil se prepara para comemorar o Carnaval sem grandes eventos e blocos de rua, a fim de evitar aglomerações. Ainda que em um formato diferente, alguns foliões aproveitarão seguindo os protocolos contra a COVID-19, um grande gesto de amor não só à data, mas também à vida.

É o que sugere Donata Hamada, Psicóloga da Clínica Samarim. Segundo a profissional, é possível festejar tal feriado em reuniões mais intimistas na companhia de familiares e poucos amigos, tendo sempre a consciência de que ainda estamos em uma pandemia.

“É compreensível que as fantasias e purpurinas deem lugar para expressões mais contidas, mas é fundamental pensar sob outro ponto de vista: reflita sobre todas as suas conquistas, seus esforços, suas alegrias, suas histórias e comemore tudo o que já passou, seja participando de eventos on-line, se fantasiando e criando o seu próprio Carnaval em casa, ou relembrando todas as coisas boas que já aconteceram, a fim de sentir-se grato”.

É dessa forma que Mônica de Souza, paciente da Clínica Savassi, irá  celebrar a data.  A cantora e compositora é intérprete do bloco Chama Que Vem, no qual se apresentará virtualmente neste ano. “Farei parte de uma live. Será uma linda festa para não passar em branco!”.

Quando perguntada se ela deixaria uma mensagem para que as pessoas possam festejar com consciência, Mônica pontua: “Não aglomerem, façam o uso de máscaras, higienizem bem as mãos e, principalmente, tomem as vacinas”.

Saiba mais sobre o nosso jeito de cuidar

*foto tirada antes da pandemia.