Websites de outros países:

Atenção

Isenção de responsabilidade: a informação que está página contém é destinada exclusivamente aos profissionais de saúde.

Nem todos os produtos estão disponíveis para venda em todos os países onde a Fresenius Medical Care está presente. Se deseja obter mais informações, por favor, entre em contato conosco.

HighVolumeHDF®

HighVolumeHDF® - Fresenius Medical Care

HighVolumeHDF® é Fresenius Medical Care

  • Redução do risco de mortalidade
  • Uso otimizado de recursos com a linha de produtos CorDiax
  • Redução dos custos gerais do tratamento

Benefícios

Vantagens da terapia

Menor risco de mortalidade com a terapia HighVolumeHDF®

HighVolumeHDF® — a mais avançada terapia e com o melhor custo-benefício

Uso otimizado de recursos com a linha de produtos CorDiax

HighVolumeHDF® — menores custos gerais do tratamento

Uma promessa feita realidade

Da promessa à comprovação

Nosso compromisso para alcançar os melhores resultados possíveis para todos os pacientes de diálise tem impulsionado nossa paixão pela hemodiafiltração (HDF). Essa paixão está baseada na firme crença de que a HDF é a melhor terapia para todos os pacientes. Nossa convicção na HDF é amplamente partilhada na comunidade científica e apoiada por evidências. Nos últimos anos, vários estudos confirmaram os benefícios da HDF.8,9,11-15  O estudo catalão sobre a HDF de alto volume forneceu diversas evidências dos benefícios desta terapia. Evidências científicas conclusivas para resultados de melhoras significativas em pacientes, associadas ao uso simples e confiável da 5008 CorDiax, são razões convincentes para mudar para a terapia HighVolumeHDF® — agora.

Essa é a razão por que a Fresenius Medical Care, por mais de 30 anos, tem desenvolvido produtos para a Hemodiálise Cardioprotetora, chegando à linha de produtos CorDiax — que permite a perfeita implementação da terapia HighVolumeHDF®.

Uma história de comprometimento com a HDF

Da hemodiafiltração à HighVolumeHDF®

A HDF é uma técnica de substituição renal que combina dois princípios – difusão e convecção. O processo convectivo é baseado na ultrafiltração de grandes quantias de água plasmática através da membrana. Isto permite a remoção eficaz de solutos maiores devido à convecção, além do transporte passivo (difusão) de pequenas moléculas.

Para obter o equilíbrio do fluido, é necessário substituir o volume de ultrafiltração adicional, de preferência, após o dialisador, a assim chamada HDF pós-diluição.

Volume importa na hemodiafiltração

Estudo

O estudo catalão sobre a HDF de alto volume8

Melhoria da sobrevida

Melhor bem-estar do paciente

Custos do tratamento reduzidos

Detalhes do estudo8

Produtos

HighVolumeHDF® é Fresenius Medical Care

5008 CorDiax e 5008S CorDiax: HighVolumeHDF® como padrão do cuidado

Dialisador FX CorDiax: superior pelo design

Cascata de Purificação Online (OPC): gestão inteligente da qualidade da água

Conteúdo relacionado

1 Krick G, Ronco C (eds), Contributions to Nephrology (2011); 175: 93-109.
2 Canaud B., Contributions to Nephrology (2007); 158: 216-224.
3 Penne L. et al., Clinical Journal of the American Society of Nephrology (2010); 5: 80-86.
4 Davenport A., Nephrology Dialysis Transplantation (2010); 25: 897-901.
5 Pedrini L. et al., Nephrology Dialysis Transplantation (2011); 26: 2617-2624.
6 Locatelli F. et al., Journal of the American Society of Nephrology (2010); 21: 1798-1807.
7 Bonforte G. et al., Blood Purification (2002); 20: 357-363.
8 Maduell F. et al., Journal of the American Society of Nephrology (2013); 24: 487-497.
9 Ok E., et al., Nephrology Dialysis Transplantation (2013); 28: 192-202.
10 Pedrini, L. et al., Nephrology Dialysis Transplantation (2011); 26: 2617-2624.
11 Grooteman M.P. et al., Journal of the American Society of Nephrology (2012); 23(6): 1087-96.
12 Canaud B. et al., Kidney International (2006); 69(11): 2087-93.
13 Mostovaya I.M. et al., Seminars in Dialysis (2014); 27(2): 119-127.
14 Peters S.A.E. et al., Nephrology Dialysis Transplantation (2016); 31: 978-984.
15 Basile C. et al., Journal of Nephrology (2017); 30(2): 181-186.