Pular para o conteúdo

20 anos Fresenius Medical Care

Estamos empenhados em melhorar a qualidade de vida de pessoas que sofrem de doença renal. Conquistar avanços em diálise e proporcionar aos nossos pacientes os melhores medicamentos possíveis têm sido nossa motivação por 20 anos, e permanece assim até hoje. Nós temos continuamente respondido a esse desafio ao longo dos anos, e nos estabelecemos como líderes em tecnologia e de mercado. Aumentando nosso investimento em áreas relacionadas à diálise no futuro, também estamos fortalecendo ainda mais nossa expertise médica - para o benefício de nossos pacientes.

Fatos & Números

A Fresenius Medical Care alcançou excepcionais avanços em seus 20 anos de história. O desejo de dar aos pacientes um futuro com uma melhor qualidade de vida tem sido nossa constante força motriz e fonte de realização. Aceitamos esse desafio e continuamos a desenvolvê-lo. Isso é demonstrado por uma série de fatos. Nós temos quase cinco vezes mais pacientes do que quando iniciamos, produzimos dez vezes mais dialisadores, nossas vendas cresceram praticamente doze vezes e nosso lucro líquido, mais de onze vezes. Nós atualmente operamos em aproximadamente 3.500 centros de diálise em 45 países diferentes e tratamos cerca de 300.000 pacientes a cada ano - de fato, nós realizamos uma sessão de diálise em algum lugar do mundo a cada 7 segundos. Tudo isso é possível graças aos mais de 100.000 funcionários, que demonstram grande coragem e energia todos os dias.

O ponto de partida

Coragem e energia também foram necessárias em 1996, quando Gerd Krick, então CEO da Fresenius AG, teve a ideia de assumir a maior e mais importante rede de diálise dos EUA, a National Medical Care. Devido ao seu talento técnico, visão comercial e habilidade estratégica, rapidamente ele ganhou aliados para seu plano. Junto a Ben Lipps, que mais tarde se tornaria CEO da Fresenius Medical Care, ele finalmente atingiu seu objetivo. A aquisição foi bem-sucedida e a Fresenius Medical Care nasceu. “À época, nós recebemos muitas visitas na empresa - desde banqueiros até delegações dos Estados Unidos. Todos queriam ter uma ideia do que era nosso trabalho e como operávamos”, relembra Erwin Franiek, que está na Fresenius há 36 anos e atualmente é encarregado do controle de qualidade da fábrica de dialisadores de St. Wendel, na Alemanha.

Tornando-se o líder em tecnologia

“Na realidade, nós já éramos os líderes tecnológicos naquela época”, continua Franiek. “Os passos vitais já tinham sido dados. Em 1983, introduzimos o filtro de polissulfona, que agora é padrão. Nos anos seguintes, seguimos ajustando os componentes-chave de um sistema de diálise - o filtro de sangue (dialisador), a bomba e a câmara de balanceamento. É vital que estes três componentes trabalhem juntos em perfeita harmonia, pois é necessário manter estável a circulação sanguínea do paciente em relação à retirada de sangue que ocorre rapidamente.

Em outras palavras, somente uma certa quantidade de fluido pode ser removida do sangue por certo período de tempo - um processo complexo que exige controle meticuloso. “O desenvolvimento paralelo bem-sucedido desses componentes-chave, no final das contas, garantiu nossa posição como líder tecnológico”, explica Reiner Spickermann, que tem sido responsável pelo desenvolvimento de equipamentos para hemodiálise na fábrica de Schweinfurt nos últimos 20 anos.

Reiner Spickermann

O bem-sucedido desenvolvimento paralelo desses componentes-chave garantiu, no final das contas, nossa posição como líder tecnológico.

Reiner Spickermann
Responsável pelo desenvolvimento de equipamentos para hemodiálise na fábrica de Schweinfurt nos últimos 20 anos

Um palco enorme

A recompensa para todo esse trabalho árduo veio em 1992, com o lançamento no mercado da família de máquinas 4008. “Todos nós sentimos uma incrível sensação de alegria quando apresentamos o sistema na ERA-EDTA, a conferência anual da Associação Europeia de Nefrologia e da Associação Europeia de Diálise e Transplante em Paris”, diz Spickermann.

“A resposta foi impressionante”. Spickermann explica que, impulsionada por esse sucesso, a empresa continuou construindo sua liderança tecnológica tanto para os dialisadores – o coração do sistema – quanto para a máquina de diálise nos anos que se seguiram. Outro marco incluiu o lançamento no mercado do sistema de tratamento 5008, em 2005. Isso proporcionou benefícios significativos para os pacientes e aumentou a taxa de sobrevivência em 35%.

Tornando-se líder de mercado

O aprimoramento contínuo da máquina de diálise preparou o caminho para a liderança de mercado. Em 1999, 100.000 máquinas de diálise já tinham saído da linha de produção de Schweinfurt. Apenas quatro anos depois, estávamos tratando mais de 100.000 pacientes por ano e a produção anual cresceu para mais de 50 milhões de dialisadores. A produção de dialisadores passou da marca dos 500 milhões em 2007 e atingiu a marca de 1.000.000.000 seis anos mais tarde.

Continuidade apesar da complexidade

A característica que nos define é a continuidade. Isso é visível no crescimento da empresa e na melhoria contínua das próprias máquinas. Sim, esses são pequenos sucessos, mas cada pequeno passo proporciona melhor qualidade de vida e maior expectativa de vida aos pacientes. “Não há melhor motivação que essa”, enfatiza Spickermann. “O maior desafio é reproduzir as complexidades da função renal o mais eficazmente possível”, ele acrescenta. A configuração da máquina de diálise é proporcionalmente complexa. Consiste em aproximadamente 8.000 componentes, alguns dos quais produzidos a partir de um material altamente especializado e com propriedades especiais. Por exemplo, eles precisam ser biocompatíveis.

Em outras palavras, os componentes não podem transmitir nenhuma impureza para o sangue, e também precisam resistir a altas temperaturas, ácidos e álcalis. As válvulas são outros componentes-chave e têm que trabalhar com absoluta precisão e confiabilidade ao longo do processo de cerca de 5.000 horas por ano, com uma vida útil média de dez a doze anos. “É também importante que os componentes individuais operem em perfeita harmonia, como as engrenagens de um relógio, para que os parâmetros sanguíneos, como a temperatura, o valor do pH e a circulação do paciente se mantenham estáveis”, salienta Spickermann. Ele explica que a composição sanguínea não pode ser alterada bruscamente, e qualquer coagulação precisa ser impedida. “Nossa maestria nesse desafio complexo nos distingue dos concorrentes”, diz Spickermann.

Valor agregado permanece internamente

O manuseio competente da complexidade, entretanto, é apenas um aspecto de nosso trabalho. A segurança do paciente e a qualidade máxima são imperativos também. “Não podemos arriscar comprometer a saúde do paciente e sua segurança”, enfatiza Franiek, que, juntamente com sua equipe, assegura sistematicamente a alta qualidade dos materiais e processos. “Esta é a razão de estarmos continuamente melhorando a compatibilidade dos produtos e automatizando inúmeros processos de controle na produção: minimizar erros da forma mais eficaz possível”, ele acrescenta. Dada a importância da qualidade, a integração vertical sempre foi uma característica da nossa empresa. Lidamos com toda a cadeia de valor agregado - desde a produção da membrana e todo o maquinário até o desenvolvimento de softwares, todos os serviços relacionados à diálise e tratamentos complementares. A integração vertical tem mais um benefício - ela concentra internamente todo o conhecimento técnico relevante.

Além disso, nossos desenvolvedores obtêm informações e dicas valiosas do manejo diário com pacientes e especialistas. Isso nos ajuda a aprimorar continuamente os produtos e serviços e a realizar processos de forma mais simples, eficiente e segura.

Tamara Jones, paciente de diálise
Tamara Jones, paciente de diálise

O paciente em primeiro lugar

O principal impulso para as melhorias vem dos pacientes e médicos. No futuro, estamos interessados em aprender ainda mais com eles. Com isso em mente, começamos a nos mover em direção aos setores hospitalares e de serviço na década de 1990 e gradualmente viemos expandindo essas atividades. Exemplos incluem a aquisição do Renal Care Group Inc. em 2005, uma participação majoritária de 51% na rede de centros de diálise de Taiwan - Jiate Excelsior Ltd. em 2007, a aquisição da Asia Renal Care Ltd. em 2010, da Euromedic em 2011 e da americana Liberty Dialysis Holding Inc. no ano seguinte.

Desafiando os limites

Prof. Dr. Bernard Canaud

Precisamos olhar para a situação geral dos pacientes e aproveitar cada oportunidade para melhorar a qualidade de vida deles.

Prof. Dr. Bernard Canaud
Diretor Médico Executivo

“Apesar de todos os nossos esforços e constantes melhorias, até nós temos certos limites”, diz o Diretor Médico Executivo para a Regional Europa, Oriente Médio e África, o Professor Bernard Canaud.

“A diálise previne a morte das pessoas com doença renal. Nos últimos 50 anos, grandes progressos foram feitos, mas é uma tarefa hercúlea reproduzir com precisão a função que o rim realiza. Não é a eficácia do método que nos limita, mas o tempo máximo da diálise”, ele explica. O rim humano funciona o tempo todo e purifica 1.500 litros de sangue por dia, o que corresponde a aproximadamente 546.000 litros por ano e cerca de 11 milhões de litros ao longo de um período de 20 anos. Isso é equivalente ao grande volume de água que uma estação de tratamento de águas residuais purifica em 24 horas, para uma população de 35.000 pessoas. Uma máquina de diálise, ao contrário dos rins, transporta e purifica somente 120 litros de sangue em uma sessão de três-quatro horas por semana. Em vista disso e do fato de que o número de pacientes renais continuará crescendo em nossa sociedade, que segue envelhecendo, o Professor Canaud está pesquisando outras abordagens de tratamento a serem consideradas para complementação da diálise. “Precisamos olhar para a situação geral dos pacientes e aproveitar cada oportunidade para a melhoria da qualidade de vida”, afirma, acrescentando que isso também inclui diagnóstico precoce e prevenção de fatores e sintomas que resultem em doença renal.

Rice Powell, CEO
Rice Powell, CEO

Perspectivas para além da diálise

A chave para isso reside no melhor cuidado possível do paciente e em compreender de forma mais específica as relações médicas. No futuro, estamos interessados em fortalecer nossa expertise médica e aumentar nosso investimento em serviços médicos relacionados à diálise. Neste campo, que é conhecido como Care Coordination, já alcançamos uma parcela de 11% em nosso maior mercado, os Estados Unidos, um número que vem aumentando. Nosso CEO Rice Powell apresentou esses números na Annual General Meeting. Ele relaciona a expansão da gestão de cuidados com importantes objetivos estratégicos quando diz: “Nossa especialidade em diálise e nas áreas de negócio envolvidas em Care Coordination nos permite moldar ativamente mudanças no mercado de assistência médica”. Isso nos oferece a oportunidade de focar no tratamento integral do paciente e lançar as bases para o nosso crescimento futuro.

Nossas últimas inovações

Suporte com software inteligente

Acoplamento de todas as bombas ativas através de uma única interface de usuário:

  • Volumes infundidos de soluções de citrato e cálcio estão automaticamente balanceados com a bomba de filtrado.
  • Se o fluxo de sangue for alterado, o dispositivo ajusta automaticamente a bomba de citrato.
  • Se o fluxo de filtrado for alterado, a bomba de cálcio é ajustada de acordo.
  • A infusão de citrato continua por um período confiável e limitado em todas as trocas de bolsas (dialisatos, substitutos, filtrados). Isso ajuda a evitar a coagulação precoce do sistema.